Psicologia do Envelhecimento

Psicologia do Envelhecimento

A Depressão

Na sequência dos temas que têm vindo a ser abordados nas últimas edições, faz todo o sentido falar na problemática da Depressão e nas suas implicações.

A Depressão é dos transtornos mais incidentes na pessoa idosa, podendo desencadear ou, até, agravar doenças preexistentes. Torna-se de extrema importância estimular o idoso a organizar o seu tempo com projectos de vida, através da criatividade, produtividade, auto-estima e iniciativa, fornecendo um significado de vida que evite a permanência de sentimentos de inutilidade e desesperança. No que é possível, o idoso deve sempre ser incentivado a realizar as tarefas que ainda consegue por si, ou com ajuda, e a participar em actividades que lhe sejam exequíveis e prazerosas.
O reforço das competências que a pessoa possui, ao invés da insistência perante as que foi perdendo, evita que esta se sinta impotente e desnecessária.

Frequentemente, as pessoas que rodeiam e convivem com os idosos associam os seus estados de melancolia e tristeza ao avançar da idade. Contudo, a Depressão não é, de todo, um acontecimento normal do processo de envelhecimento, devendo ser sinalizada e acompanhada visando o bem-estar e saúde da pessoa.
Existem algumas circunstâncias que podem vir a desencadear estados depressivos, derivadas de mudanças e perdas. A institucionalização pode ser um factor relevante, tendo em conta que o idoso se vê ao abrigo de diversas alterações no seu dia-a-dia, modificando a percepção de controlo que tem sobre a sua própria vida. Também, as perdas físicas, cognitivas e situações de doença crónica podem requerer um acompanhamento especial visando uma adaptação progressiva e saudável. As situações de luto, tal como acontece em qualquer idade, são alturas de sofrimento e adaptação normais, contudo existem casos em que o processo se complica e o idoso não consegue ultrapassar a perda experienciada e, aí, se envolve num estado depressivo, desinvestindo de si e dos outros. As problemáticas familiares podem também ser bastante conflituosas para o idoso resolver, resultando, por vezes, em Depressão.
A atenção para com o comportamento do idoso e o acompanhamento frequente do seu estado geral, além de evitar o isolamento e a solidão, permitem a sinalização dos casos que necessitam de apoio e ajuda.
Um apoio psicológico adequado e especificado a cada caso, possibilita que o indivíduo se consiga adaptar às situações com que se demonstra em conflito.
Pare.
Escute.
Compreenda.
Read 766 times Last modified on segunda, 24 outubro 2016 16:30
Rate this item
(0 votes)
Login to post comments

 

revista generalista

Torres Vedras

região Oeste e norte de Lisboa