fbpx
terça-feira, 19 janeiro 2021 | Login
O comércio tradicional e o comércio eletrónico: "Co_n_vid_o-o ao Comércio"

O comércio tradicional e o comércio eletrónico: "Co_n_vid_o-o ao Comércio"

Neste momento o comércio tradicional luta contra o Covid-19 e contra o comércio eletrónico. A única forma de sobreviver com esta pandemia é aprender a viver com o Covid-19 e aderir às plataformas eletrónicas.
No meio desta guerra o modelo atual de comércio tradicional foi ultrapassado pelas novas tecnologias e se não nos adaptarmos, não vamos conseguir ganhar esta batalha. Não podemos deixar fechar o comércio tradicional, temos sim é que modernizá-lo, aderindo às novas tecnologias.


Não deixa de ser importante o contacto direto com os clientes para poderem esclarecer algumas dúvidas, pedir ajuda, deixar um computador para reparar, por exemplo, ou simplesmente levantar as suas encomendas para economizar nos custos das entregas.
Hoje em dia é fácil para qualquer empresa adaptar-se às novas tecnologias. Não é forçosamente obrigatório ter grandes conhecimentos informáticos, nem fazer grandes investimentos. Neste momento todas as empresas são obrigadas a ter um programa de faturação certificado e atualizado o que obriga a uma constante atualização dos sistemas informáticos. As empresas de desenvolvimento de programas de gestão estão a trabalhar cada vez mais nos sistemas para que funcionem on-line e ofereçam ferramentas simples e intuitivas para divulgar e vender os seus produtos. Se dispensou trabalhadores por causa do Covid-19, deve dar-lhes a oportunidade de lhe ajudar em vendas on-line, nem que seja através das redes sociais.
O futuro já era o comércio eletrónico antes do Covid-19 e esta pandemia só veio acelerar o desenvolvimento da humanidade.
Uma forma simples de vender on-line e com muito pouco investimento é aderir às plataformas de Marketplace. Os Marketplace são plataformas onde os comerciantes podem colocar os seus produtos à venda. Normalmente basta submeter um ficheiro em Excel devidamente formatado com as exigências da plataforma e já temos os nossos produtos à venda. Sabemos que estamos a concorrer, por vezes, com dezenas de vendedores, mas se tivermos bom preço e stock vamos certamente fazer boas vendas. São plataformas muito interessantes porque permitem-nos ver os preços dos mercados para que possamos ajustar os nossos preços.
As pessoas mesmo com o Covid-19 precisam de comprar pelo menos as coisas básicas e por isso há um consumo constante.
Ter stock por vezes é mais importante que ter preço, porque há consumo. Se pesquisar artigos no site da Worten, da FNAC, do Kuantokusta ou da Amazon, repare que nestas plataformas aparecem vários vendedores para o mesmo artigo e com preços diferentes. Além disso, pode escolher a quem quer comprar os seus artigos, pode até comprar na loja mesmo ao seu lado onde costuma fazer as suas compras. Estas plataformas são vistas por milhões de pessoas em todo mundo, o que lhe dá uma visibilidade enorme. Dão aos compradores alguma confiança porque estão associadas a grandes empresas e para estar presente é fundamental seguir todas as regras da plataforma, caso não cumpra com as entregas é automaticamente suspenso. O pagamento é feito diretamente na plataforma e com todos os meios disponíveis, mas quem controla os pagamentos e os reembolsos são estas plataformas. A logística é toda do vendedor. É quem recebe a encomenda e faz a sua expedição. Quem quer vender só́ precisa de fazer um contrato com uma transportadora para vir levantar o artigo na sua loja física e entregar ao cliente.
Outra forma de vender é ter um site com uma loja virtual. Existe muitas ferramentas gratuitas e de fácil utilização para manter a sua loja virtual a funcionar. Fale com a empresa que dá assistência ao seu programa de faturação, tente saber como é que é possível sincronizar o seu stock com a sua loja virtual. A maioria dos programas de faturação tem um interface para fazer esta sincronização.
Também pode contar com o stock dos seus fornecedores, fale com os seus fornecedores para lhe darem os ficheiros necessários para atualizar a sua loja virtual, porque, por vezes, já têm ferramentas que facilitam esta sincronização. A grande vantagem é poder vender milhares de referências sem ter stock, mas deve atualizar o seu stock pelo menos uma vez por dia. Tem também a possibilidade de sincronizar o seu site com os vários Marketplace, a sua página no Facebook ou ainda a sua loja do Instagram, tudo isto de forma automática. Todas estas plataformas são muito exigentes e se os compradores derem uma avaliação negativa, devido a uma falha de stock ou o artigo não vier em boas condições, vão perder a credibilidade. Não se esqueça que os artigos devem ir muito bem acondicionados porque se por acaso se estraga um equipamento no transporte é uma carga de trabalhos, além do prejuízo.
Infelizmente não sabemos qual o futuro da pandemia, mas sabemos que 43% das pessoas já fazem compras on-line, ou seja, que a tendência do desenvolvimento é esta.
Quer vender on-line, peça ajuda, porque afinal de contas, isto até é muito simples e de fácil acesso.
Quem não sabe simplesmente fazer uma publicação no Facebook?! 
Não se esqueça do aspeto visual, porque o aspeto visual vende e o detalhe das características dos artigos também. Ponha todos os detalhes dos artigos e peça aos seus amigos Web Designers para lhe dar uma ajudinha em criar um aspeto visual atrativo ao seu site.
Não podemos estar fisicamente nas lojas, mas se trabalharmos em casa em segurança podemos estar presentes virtualmente em todo o planeta e podemos ter uma loja com milhões de clientes.


Media

Login to post comments

 

revista generalista

Torres Vedras

região Oeste e norte de Lisboa