fbpx
terça-feira, 19 janeiro 2021 | Login
Ana Meireles e a artista Olga Neves falaram-nos da Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino

Ana Meireles e a artista Olga Neves falaram-nos da Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino

A Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino, em Torres Vedras, foi reaberta, após algumas obras e melhoramentos.
Fomos até este espaço cultural, no final de novembro, falámos com a responsável, Ana Meireles, e com a artista Olga Neves cujo trabalho "Todos Eram Iguais Perante a Lua" estava patente no local.
Ainda nos foram contadas... três histórias!
As entradas no espaço são gratuitas.

Revista Festa - O que é a Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino?
Ana Meireles - A Fábrica das Histórias nasceu de um espólio doado pelo Dr Jaime Umbelino à Câmara Municipal de Torres Vedras e a idéia era fazer deste lugar uma Casa Museu, só que ao fazê-lo neste espaço relativamente pequeno seria sempre uma exposição estática, finita e limitada.
O espólio entretanto foi para o Museu Municipal, para ser restaurado e inventariado, enquanto aqui é um híbrido entre uma Galeria de Arte e uma Biblioteca, com exposições mais vocacionadas para a narrativa visual, ilustração e escultura, trabalhando também os livros e as narrativas literárias.
O que fazemos é pedir aos artistas que aqui expõem os seu trabalhos que integrem esse espólio na sua obra artística. Assim, o espólio acaba por ser infinito, porque integrado nas exposições conta sempre coisas diferentes consoante o tema abordado.

Festa - Acabam de reabrir depois de algumas obras e alguns melhoramentos?
Ana Meireles - As alterações foram pontuais, pois a Fábrica sofria por ser uma casa antiga.
A casa sempre foi assim, manteve-se a traça, manteve-se tudo, só que agora temos menos frio, porque já há vidros duplos, agora já não temos infiltrações, porque foi tudo recondicionado, a iluminação foi muito melhorada e assim... As obras foram uma lavagem muito bem conseguida em que se manteve tudo o que era carterística do espaço, que por ser uma casa antiga não tem a frieza de outros espaços projetados de raiz para galerias. Manteve-se um espaço cheio de magia mas criaram-se algumas condições para quem aqui trabalha, aqui expõe ou visita a Fábrica.

Festa - É fácil visitar a Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino?
Ana Meireles - Estamos sempre de porta aberta, menos à segunda-feira e ao domingo.
Normalmente temos uma relação muito próxima com as escolas, porque aqui também ocorrem “oficinas”, todos os anos com um tema diferente, à volta de um livro ou de uma história escolhida. Mas qualquer pessoa pode visitar a Fábrica, de forma gratuita e sem qualquer constrangimento.

Festa - Nesta altura quais as histórias em exposição?
Ana Meireles - São três: “A lebre - A senhora muito”, “O senhor veado”e ainda uma história sobre as Invasões Francesas, contada na “pele” de um miúdo, o “João Torto”.
A responsabilidade desta exposição é da Olga Neves que certamente poderá adiantar um pouco mais sobre estas fábulas e história, apresentadas de uma forma moder-nizada e muito fácil de entender.

Festa - Foi a Olga Neves a artista que “fabricou” estas histórias. Que é possível ver aqui nesta exposição?
Olga Neves - Aqui na Fábrica existem três salas, cada uma com uma exposição diferente, com ilustração, escultura e alguma cerâmica, as áreas que como artista plástica mais trabalho.
Embora seja uma exposição disponível para o público em geral é mais direcionada para o público infantil. Pelo menos foi essa a intenção que tive ao criar estas peças que aqui se podem ver.
Acho que na maioria dos casos as exposições se distanciam um pouco do público infantil e como tenho a opinião de que a arte deve começar desde muito cedo, desde tenra idade, este projeto “Todos Eram Iguais Perante A Lua” procura isso mesmo, cativar muito em especial os mais novos.

Festa - De onde lhe vem essa influência?
Olga Neves - São várias as influências, mas recordo muito em especial a da minha mãe, que sempre me contou muitas histórias, desde muito nova, e achei que podia traduzir isso mesmo para a arte, em especial na ilustração e na escultura.

Festa - Que abordam estas suas histórias?
Olga Neves - Os temas são um pouco diferentes de história para história, mas, na “Senhora Lebre” e no “Senhor Veado” são histórias que abordam o tema da vaidade e consequentemente da humildade que é necessário ter para sobreviver, mas também da amizade. Na sala do “João Torto” trata-se de uma história sobre as invasões francesas à volta deste “João”, um rapaz do povo, que vivia na “nossa terra”, com raízes muito fortes e que brevemente também irei editar em livro.

... pelo meio, fomos assistindo à narrativa das histórias, neste caso contada pela Olga Neves, observando as salas da Fábrica das Histórias e deliciando-nos com as ilustrações e esculturas com que a artista apoia essas mesmas histórias.
Uma vista que se recomenda, em especial para as famílias ou para os mais novos.


Media

Login to post comments

 

revista generalista

Torres Vedras

região Oeste e norte de Lisboa